Como resolver o cálculo dos impostos regionais no B2B

Uma das principais dificuldades do mercado B2B brasileiro está na definição de preços proveniente da complexidade dos cálculos de tributos e impostos, que variam de acordo a cada estado. E, pelo fato de ser complexo, muitas empresas do segmento B2B optam por estabelecer uma média dos impostos e adotar um preço único para suas transações. Mas o risco grande. Se o preço final da sua mercadoria ficar muito alto, a probabilidade de seus clientes buscarem por concorrentes aumenta relativamente.

Atma IT - Como resolver o cálculo dos impostos regionais no B2B

Um estudo realizado pela ATMA, mostrou que os impactos das tributações regionais podem implicar na variação de valor de um produto, devido aos impostos, em até 20% entre determinados estados. Por exemplo, um produto fabricado no Espírito Santo, quando vendido para São Paulo sai a um custo de R$ 1609,85, enquanto que, quando vendido para Santa Catarina sai a um custo de R$ 1926,49.

Descubra como resolver o cálculo dos impostos regionais, e trazer maior segurança para as empresas B2B.

O impacto dos impostos nos negócios B2B

O grande entrave nos negócios B2B é a formação de preço devido aos impostos. Quando se trata do mercado B2C, a formação de preço se torna mais simples. O mesmo produto vendido do em São Paulo tem o mesmo valor quando vendido em Santa Catarina.

Já em empresas B2B, existe uma variação devido a diversos impostos incidentes da definição de preço, principalmente à Substituição Tributária e o ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que estão envolvidos em todo o processo de venda, desde a negociação com o distribuidor, chegando ao consumidor final. Por isso é importante ter todos os impostos incluídos precisamente no preço cobrado.

E o que já era complexo se tornou mais complicado! Hoje, cada estado tem suas próprias regras tributárias, o que resulta em um valor diferente a ser cobrado para a empresa-cliente de acordo com o estado. E por essa complexidade, muitas empresas decidem por formar preços únicos a partir de médias de impostos no mercado. Porém esta é uma escolha perigosa, porque em alguns locais o preço pode ficar muito mais altos que a concorrência.

Outra solução, muitas vezes buscada, é a restrição das negociações a um único estado, resultando na perda de diversas outras oportunidades de negócio e crescimento da empresa. Então, qual é a melhor solução.

Uma solução ideal para os impostos regionais

Uma possível solução ideal seria a criação de uma nova constituição que garantisse a equidade entre os impostos cobrados entre os estados. Viabilizando negociações mais equilibradas e competitivas entre empresas B2B. Mas como esta mudança, notadamente, é muito complexa e onerosa, a reforma tributária seria uma outra opção.

Uma reforma tributária no Brasil teria como principal objetivo a mudança na estrutura legislativa de impostos, taxas e outras contribuições no Brasil, modernizando e trazendo um sistema igualitário de tributação. Isso, resultaria na simplificação dos tributos cobrados por meio da redução das legislações do ICMS, quanto pela eliminação de tributos, agregando racionalidade econômica e reduzindo as obrigações das empresas com os custos de apuração e recolhimento de impostos.

Mas enquanto esta realidade não chega, o que seu negócio B2B pode fazer?

Assertividade através da realidade tributária brasileira

Como você já deve ter percebido, o cálculo dos impostos em negócios B2B é bastante complexo para ser feito manualmente. Por isso, plataformas que se integrem ao sistema ERP utilizado nas empresas deste segmento, se tornam grandes aliados.

Estas plataformas integradas ao ERP permitem que todos os parâmetros sejam definidos, dentre eles as regras tributárias. Dessa forma, é possível se calcular o preço de forma mais precisa, automática e sempre atualizada. Além de os clientes poderem ter acesso à simuladores de preços acelerando assim o processo de tomada de decisão de compra.

Conclusão

Enquanto as mudanças na legislação, ou reformas tributárias não se tornam realidades no Brasil, é fato a necessidade do uso de sistemas integrados que facilitem e otimizem os cálculos de preços para os produtos vendidos no território nacional. Afinal, não é fácil controlar manualmente quanto cada estado cobra de imposto, principalmente ICMS e Substituição Tributária. Afinal, cálculos incorretos, ou feitos através de médias podem causar grandes prejuízos, e até mesmo possíveis falências.