Como não ser mais uma empresa que perde dinheiro com o e-commerce?

Você já se perguntou se realmente vale a pena abrir um e-commerce? Para muitos empreendedores, vender pela internet parece uma oportunidade inquestionável. Se todos os concorrentes e empresas de vários nichos estão tendo sucesso no comércio eletrônico, por que eles também não teriam?

Porém, nem todas as empresas estão realmente tendo bons resultados com o e-commerce. É isso que mostra um estudo da JDA Software e da PwC.

A pesquisa entrevistou 350 varejistas globais, que estão na batalha para competir com a Amazon. Enquanto a gigante do e-commerce amplia sua fatia de mercado, as empresas correm atrás para conquistar o consumidor e sobreviver na internet.

As principais estratégias adotadas para aumentar sua competitividade são trabalhar com prazos de entrega mais curtos e oferecer a opção de retirar produtos na loja física. Porém, os resultados disso não são tão positivos para o bolso: 90% dos varejistas entrevistados estão perdendo dinheiro ao atender esse tipo de pedido.

Por que as empresas estão perdendo dinheiro no e-commerce?

As empresas entrevistadas no estudo acima relataram que, além do alto investimento na operação online, elas ainda sofrem com altos custos de entrega, altas taxas de retorno (logística reversa) e custos de mão de obra, especialmente para atender pedidos online com retirada offline.

Isso mostra que a competitividade com gigantes do e-commerce espreme os concorrentes. Eles precisam trabalhar com margens estreitas, reduzir ao máximo os custos de frete e ainda oferecer conveniência para o consumidor. Mas, muitas vezes, essas ações exigem que a loja abra mão da sua lucratividade e ainda tenha prejuízos para se manter no mercado. E, assim, poucos negócios se sustentam.

Apesar dessa realidade, a ideia corrente é que basta abrir um e-commerce para ter sucesso. É claro que as oportunidades no comércio eletrônico são valiosas: você pode vender sem ter um ponto físico, sem ter horário para abrir e fechar e sem se limitar aos clientes da sua cidade ou região.

Porém, também são grandes os desafios de abrir uma loja virtual: a integração com as operações offline, a transformação de processos internos, as preocupações com a logística, as dificuldades de atrair visitantes e gerar conversões, além do embate com grandes concorrentes.

Afinal, a loja virtual pode atrair clientes de qualquer lugar, mas também passa a competir com empresas do mundo inteiro, além de grandes varejistas que pressionam as suas margens, como vimos acima.

Como criar uma operação de e-commerce rentável?

Por outro lado, existem várias lojas virtuais que conseguem encontrar o caminho do sucesso. Não é por acaso que o e-commerce não para de crescer, mesmo em tempos de crise no Brasil. A estimativa da ABComm é que o faturamento cresça 16% em 2019. Espera-se também que as micro e pequenas empresas aumentem sua participação e cheguem a 29% do faturamento.

Mas qual é o segredo desses negócios para criar uma operação online rentável?

O primeiro passo é entender que abrir uma loja virtual não significa apenas colocar um site no ar. Você deve encarar como a abertura de um novo canal de vendas, que precisa de planejamento e estratégias de marketing, vendas, finanças, atendimento e RH específicas. Entenda também que o ambiente online demanda uma mudança de perspectiva da sua equipe, para falar a língua do consumidor na internet e entender o seu comportamento.

No caso das empresas B2B, a complexidade dos processos internos e das vendas exige ainda mais organização dos gestores na migração para a operação online. Todas as particularidades e modelos comerciais das vendas offline devem ser migrados e adaptados para o e-commerce, de maneira que o ERP possa fazer a integração entre as operações corretamente.

Portanto, muito mais que oferecer preços baixos e entregas grátis para conquistar o consumidor, o segredo está na gestão do negócio e no planejamento.

Entre os clientes da Atma, percebemos que o alinhamento dos processos, a organização da gestão e o planejamento das estratégias são pilares para a criação de um e-commerce B2B rentável. Com clientes assim, conseguimos aumentar em 50% a margem dos pedidos feitos no site e em 10% as vendas de cauda longa, além de reduzir os custos com pessoal ou realocar profissionais para áreas mais estratégicas.

Portanto, não adianta olhar para os concorrentes e adotar estratégias precipitadas para competir com eles. O seu e-commerce tem muito mais chances de sucesso se for sustentado por uma gestão firme e por estratégias bem planejadas, de acordo com o seu modelo de negócios.

Aqui na Atma, desenvolvemos uma plataforma de e-commerce B2B especialmente para atender as suas necessidades e crescer com o seu negócio. Fale agora conosco e entenda como podemos ajudar você!