A verdade inconveniente sobre e-commerce: muitos não são rentáveis

Não há dúvidas de que o e-commerce transformou os hábitos de consumo. Se antes havia desconfiança de comprar algo que não se podia tocar nem experimentar, hoje essa barreira foi superada e o comércio eletrônico já faz parte do dia a dia.

Segundo o relatório Webshoppers, o e-commerce brasileiro registrou um faturamento de R$ 23,6 bilhões no primeiro semestre de 2018. Em 2008, esse valor era de apenas R$ 3,8 bilhões ― um número já alto, mas nada perto do que seria dez anos depois.

De olho nesse crescimento, muitos negócios migraram para as vendas na internet e outros já nasceram no ambiente online. E, assim, eles aproveitam todo o potencial do e-commerce, que oferece mais conveniência para os clientes, maior alcance para a loja e a possibilidade de vender 24h por dia ― mencionando apenas as principais vantagens.

Falando assim, parece fácil, não é? Você coloca a loja virtual no ar e, de repente, ela já se torna rentável. Mas será que o sucesso vem assim, tão facilmente? Não é isso que um artigo da Forbes defende… A seguir, vamos entender os motivos para isso.

Criar um e-commerce não é sinônimo de sucesso

Muita gente acredita no “milagre do e-commerce”: para uma loja física que está perdendo faturamento ou uma ideia de negócio que precisa vender, basta abrir uma loja virtual que o sucesso é garantido!

Com essa mentalidade, muitos empreendedores se jogam no e-commerce, principalmente quando veem os seus concorrentes na internet ou querem se mostrar inovadores no seu mercado. Nesses casos, eles costumam pensar que é só abrir as vendas online para deslanchar.

Mas não é bem assim…

E-commerce nenhum é capaz de, por si só, resolver problemas de gestão. Pior ainda: ele pode trazer ainda mais prejuízos para uma empresa que não tem processos alinhados.

Por que um e-commerce pode não ser rentável

Criar uma operação online dá trabalho. É preciso conhecer o ambiente de vendas na internet, entender o comportamento de compra na web e ainda enfrentar um mar de concorrentes, entre grandes players e uma infinidade de pequenos negócios.

Além disso, também há inúmeras questões práticas. Este artigo do E-commerce Brasil aponta que atrair visitas, gerar conversões e lidar com a logística são as principais dificuldades para ter rentabilidade no e-commerce. Some a isso, ainda, contratar uma boa plataforma, precificar, divulgar, cumprir prazos, criar canais de atendimento, entre outras diversas ações.

Um dos grandes desafios enfrentados na criação de um e-commerce, especialmente no mercado B2B, é a integração com os sistemas de gestão das empresas. Muitas vezes, elas têm processos confusos, estruturas operacionais complexas e sistemas de ERP implementados com muitas inconsistências. Assim, fica difícil integrar as operações online e offline.

Outro grande obstáculo é a mentalidade da equipe interna. As pessoas estão acostumadas a trabalhar com ferramentas voltadas para as vendas offline ― como, então, digitalizar os processos e as ferramentas de uma hora para outra? Não é tão simples, nem tão rápido.

Porém, nem todos os empreendedores percebem tudo isso que uma empresa enfrenta para criar um e-commerce de sucesso. Além disso, mesmo que estejam cientes, realizar todas essas ações de maneira eficiente é um grande desafio.

Por esses motivos, a maioria das lojas virtuais que você vê por aí não são rentáveis ― e essa é a verdade inconveniente que poucos percebem.

“Ok, então devo ou não devo abrir uma loja virtual?”

Se você acha que é só abrir um e-commerce para ter um negócio rentável, a resposta é: não abra uma loja virtual. Você terá mais prejuízos que bons resultados, muito menos clientes que espera e, se já tem uma loja física, o e-commerce pode só atrapalhar o seu negócio.

Não queremos desencorajar os empreendedores, apenas alertar: se você quer entrar no e-commerce, deve antes investir em planejamento e estratégia.

Primeiramente, você precisa entender o contexto do seu negócio. Não é só porque “todo mundo” vende pela internet que você também deve. Entenda como se comporta o seu público, qual concorrência você vai enfrentar na internet, como é o seu modelo de negócios e se a sua equipe está preparada para operar um e-commerce.

Pense também em como você vai começar as suas operações online. Todas aquelas questões práticas que mencionamos antes precisam estar na sua mira. Como você vai atrair os clientes? Como você vai precificar os produtos? Como será a sua política de frete?

Além disso, avalie os seus processos internos. A sua empresa tem uma gestão organizada? A sua estrutura operacional comporta uma operação online? Você utiliza um sistema ERP de maneira eficiente?

Todas essas questões ajudam a preparar o seu negócio para entrar no comércio eletrônico. Uma empresa organizada e com um bom planejamento tem muito mais chances de sucesso no e-commerce.

Assim, ao adotar uma plataforma de e-commerce, você será capaz de tirar proveito da tecnologia e de todas as suas funcionalidades ― em vez de desperdiçar tempo e dinheiro com problemas de integração e defasagem nos processos.

Agora, saiba que você pode contar com uma plataforma de e-commerce B2B criada exatamente para o seu segmento de negócio. Conheça agora a Plataforma Atma B2B.