Você entende de tributação no B2B?

Você entende de tributação no B2B?

Conhecer a tributação no B2B é uma tarefa complexa. ICMS, ICMS-ST, ISS, e tantos outros, são impostos que impactam seu ecommerce B2B. Por isso viemos desmistificar os impostos no B2B para tornar a sua vida e a do seu ecommerce mais simples

Você realmente sabe a diferença entre B2C e B2B?

O primeiro passo para entender como funciona a tributação no B2B é compreender a diferença entre os ecommerces B2C e o B2B. O tipo de modelo de negócio B2C (business to consumer) trata-se daquele que no qual o comércio eletrônico ocorre entre empresa e cliente final através de um e commerce. Dando um exemplo prático, quando você, pessoa física, entra num site para comprar um produto ou serviço, está acontecendo uma relação B2C.

Já quando falamos em modelos de negócios B2B (business to business) definimos que as transações comerciais ocorreram entre empresas através de uma plataforma de ecommerce. Novamente com o exemplo, se uma loja compra produtos para revender, transformar ou consumir, esta relação é de natureza B2B.

Exemplificando uma “cadeia completa”: uma fábrica vende produtos para uma empresa (relação B2B), que por sua vez vendem para o consumidor final (relação B2C). Pronto! Clarificada das primeiras diferenças vamos entender como funciona a tributação para modelos B2B de negócios.

Qual a diferença da tributação no B2B?

Como vimos, a principal diferença entre o B2C e o B2B é o tipo de cliente e o tipo de operação realizada.  Lembrando que no B2C o cliente é o consumidor final e no B2B o cliente é normalmente outra empresa. E como é de se imaginar existe uma diferença na tributação entre o B2C e o B2B. No caso do B2C, o cliente final tem acesso direto ao preço, por isso, não é necessário cálculo de impostos para vender o produto. Porém nas vendas B2B o cálculo não funciona da mesma forma.

Além de ecommerce B2B ter a possibilidade de trabalhar com diferentes tabelas de preços, as quais podem variar de acordo com o volume de compras, descontos diferenciados, a tributação no B2B também ocorre de maneira diferente. As vendas em B2B possuem o componente do cálculo de imposto que considera desde o produto que está sendo vendido, o estado de origem e destino, o tipo de venda e de cliente (transformação, revenda ou consumo).

Por exemplo: no varejo é possível vender um tênis por R$100,00 em todo o Brasil. Como a empresa vendeu para um consumidor final, pessoa física, sua tributação a tributação calculada não gera muita variação. Independente do estado de origem e destino. 

Mas, se a venda for realizada para uma outra empresa, pessoa jurídica, um produto que seja seja vendido de São Paulo para Minas Gerais pode custar R$115. Se for vendido para outro estado, o valor será diferente. Ou seja, a origem e o destino da mercadoria mudam o valor final do produto.

Quais são os principais impostos no B2B?

Ufa, muita informação até agora. Mas vamos a parte prática, qual a tributação no B2B? Depois de todas essas preliminares segue a tributação no B2B:

ICMS

O ICMS é o famoso Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços. É o tributo que incide na movimentação de produtos, importações, prestação de serviço de transporte, seja intermunicipal ou interestadual e de comunicação.

A cada compra ou venda realizada por seu ecommerce, este imposto é recolhido através de um compartilhamento do estado de origem e destino. Sua alíquotas variam de 7 a 12% sobre o valor da mercadoria. Nesta tabela é possível conferir o funcionamento por unidade federativa.

ICMS-ST

O ICMS-ST é referente a substituição tributária do ICMS. Basicamente é a transferência da responsabilidade pelo recolhimento do imposto, facilitando a apuração dos resultados. No próximo tópico vamos detalhar melhor como funciona essa tributação no B2B.

ISS

Esse é o Imposto Sobre Serviço, que, obviamente, é recolhido caso seu ecommerce preste algum serviço a um cliente. Diferente do ICMS, que é retido pelo estado, o ISS é retido pelo município contratante. A alíquota varia de 2 a 5%, dependendo da cidade.

O que é a substituição tributário no B2B?

Deixamos o ICMS-ST separado, porque ele merece um espaço especial em nossa conversa. Sendo a tributação no B2B, muitas vezes um ponto complexo, talvez, a substituição tributária seja a mais difícil delas.

Como explicamos a substituição tributária, é uma forma de simplificação. Lembra que o ICMS é tem uma taxa variada de acordo ao estado em que o produto se encontra? Imagine um produto que passe por vários estados. Haveriam várias cobranças de ICMS sobre ele até a chegada no consumidor final.

A substituição tributária no B2B é meio de simplificar essa cobrança. Ao invés de serem feitas cobranças “particionadas”, o cálculo da tributação é feito uma única vez ao final da etapa que engloba todo o deslocamento do produto.Porém, como cada estado possui uma taxa de ICMS diferente, pode existir uma dificuldade em calcular a substituição tributária no B2B. Por isso é muito importante saber como calcular este tributo. 

Para tentar simplificar o cálculo, muitas empresas de ecommerce realizam uma média da alíquota de acordo com o estado que será vendido e incorporam o valor o preço final do produto. Porém isso pode causar redução da competitividade em comparação com outro ecommerces que realizam o cálculo da tributação de maneira correta.

Como calcular impostos no B2B?

Parece difícil realizar todos esses cálculos manualmente. E se você não for bom em matemática, muito atento e dedicado (afinal você vai ter que fazer os cálculos para cada produto vendido), realmente vai ser difícil.

Por isso, ter uma plataforma que te auxilie no cálculo da tributação no B2B, é um investimento necessário. Veja como se simula preços com impostos em ecommerce B2B. Você vai no final das contas concordar que uma plataforma será uma mão na roda na hora de estabelecer sua tabela de preços. 

Além de facilitar a definição de preços no seu ecommerce B2B, você conquistará e fidelizar os cliente com base na transparência e na rapidez das informações fornecidas. Dando mais confiabilidade e praticidade na construção de uma vantagem estratégica entre no comércio eletrônico B2B.