Guia do Google Analytics

Há alguns anos, o Google lançou uma ferramenta gratuita e com alto potencial para impulsionar as estratégias digitais utilizadas pelas empresas, o Google Analytics. Mas a maioria dos empreendedores ainda não aproveita o máximo desta solução, que permite visualizar dados essenciais para o gerenciamento de um site, como o número de visitantes que acessam o espaço.

Conhecer os diferentes menus da ferramenta – e saber como utilizar as informações visualizadas para melhorar as ações realizadas no ambiente virtual – é algo que contribui para que o negócio se destaque da concorrência. Pensando nisso, reunimos, abaixo, algumas métricas fornecidas pelo Google que não deveriam ser ignoradas. Confira:

4 dados importantes para ficar de olho no Google Analytics

1. Duração média da sessão

Além de saber quantas pessoas acessam o seu site, é indicado saber quanto tempo, em média, estes visitantes ficam no endereço virtual da sua empresa. Quanto maior o tempo apresentado, melhor. Isso significa que as suas páginas virtuais têm elementos eficientes em prender a atenção do internauta. Por outro lado, se este é um número baixo, então é preciso diagnosticar o problema para eliminá-lo. Por exemplo: será que o público atraído para as suas páginas é mesmo formado por compradores em potencial dos seus produtos? Se as suas estratégias estiverem focadas em atrair a audiência errada, então é bastante provável que os visitantes fiquem mesmo pouco tempo no seu endereço online. Nesse caso, é preciso melhorar o direcionamento das ações realizadas.

Você encontra esta informação no link Visão Geral, da sessão Comportamento. Você pode personalizar pesquisa, para visualizar dados referentes a uma página específica ou a um conjunto de páginas.

2. Taxa de rejeição

Esta é uma informação que permite avaliar a taxa de visitantes que acessam uma única página do seu site. No caso de um blog, por exemplo, ter uma alta taxa de rejeição pode ser considerado ruim. Porque isso significa que o internauta acessa o endereço, lê uma única página e não se interessa por outros conteúdos. Mas se a empresa tem um site que apresenta apenas uma página, então é normal que esta seja uma taxa alta.

No caso do blog, um exemplo de solução para o problema é adicionar links internos nos conteúdos produzidos. Assim, você chama a atenção do visitante para outros artigos interessantes relacionados ao assunto que ele está lendo.

Você encontra esta informação no link Visão Geral, da sessão Comportamento.

3. Conversões

No Google Analytics você também pode avaliar o sucesso das suas campanhas online, com base em objetivos específicos. Para isso, primeiro, é preciso personalizar as metas da sua empresa. Por exemplo, as suas ações digitais podem ter como objetivo o fechamento de mais vendas, a divulgação de um produto ou a captação de leads por meio do download de um e-book. Sempre que um usuário realizar uma ação relacionada a estas metas, como a confirmação de uma compra ou o download de um material, os dados são atualizados nos relatórios do Analytics. Assim, é possível avaliar o desempenho do site e das campanhas.

As informações referentes às metas definidas podem ser visualizadas nos menus Conversões e Aquisição.

4. Interesses

Esta é uma sessão importante para que você entenda quem são os visitantes que passam pelo seu site. Você pode obter informações relacionadas à idade, sexo e categorias de interesse. Consegue verificar qual é a porcentagem do seu público que tem entre 18 e 24 anos, se a maioria dos visitantes são homens e quantos têm interesse em computadores e acessórios eletrônicos, por exemplo.

Estes são dados que devem ser comparados com as informações acerca dos seus compradores em potencial. As informações devem ser próximas, para garantir que você está atraindo a audiência certa para o seu site. Caso contrário, é importante reavaliar a sua estratégia digital.

Você encontra esta informação na sessão Público, Interesses.

Você já aproveita todo o potencial do Google Analytics para melhorar as suas estratégias digitais e gerar mais resultados? Quais são as suas principais dúvidas em relação a esta ferramenta? Conte nos comentários! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *