5 tendências tecnológicas na gestão de inventário para observar

O mercado de tecnologia para operações logísticas está se desenvolvendo rapidamente. O que antes era permeado por trabalho manual intenso tem se tornado cada vez mais colaborativo, automatizado e baseado em cloud. Tudo graças aos avanços da tecnologia que permitem a otimização dos processos dentro do armazém, reunindo e analisando dados para melhorar o desempenho das operações e satisfazer as necessidades dos clientes.

 

5 tendências tecnológicas na gestão de inventário

Abaixo, separamos as cinco maiores tendências na área de tecnologia que têm mais probabilidade de impactar operações de gestão de inventário nos próximos anos.

1. Internet das coisas

A conexão de itens do armazém à internet não é só uma previsão, já que há empresas que fornecem a solução atualmente. Mesmo assim, a internet das coisas ainda é um campo que irá expandir muito. Para se ter uma ideia do tamanho disso, especialistas preveem um crescimento do número de aparelhos conectados à internet de até 30 vezes até 2020. Na área de logística, a internet das coisas vai possibilitar recolha e análise de dados, além do rastreamento dos produtos desde o armazém até as mãos do cliente. Isso significa que será possível monitorar a localização de itens dentro de uma cadeia inteira de fornecimento.

2. Big Data

Ao armazenar e analisar informações mais detalhadas do histórico de compra e venda, as empresas poderão identificar e prever mudanças nas necessidades dos clientes além de fazer melhorias nas operações de armazenagem. Não adianta apenas coletar e guardar informações e o Big Data está aí para provar isso: é preciso transformar dados em conhecimento estratégico.

3. Wearables (dispositivos vestíveis)

Em um futuro muito próximo veremos os dispositivos vestíveis se tornarem essenciais em operações logísticas do mercado B2B. Os wearables trazem o elemento humano para a internet das coisas, dando às empresas várias maneiras de melhorar as operações do armazém, tais como rastreamento de movimento do colaborador, monitoramento de segurança e entrega de melhor qualidade e serviço aos clientes.

4. Dispositivos móveis

O uso de dispositivos móveis na gestão de inventário começou há mais de 15 anos, com o uso de leitores portáteis de código de barras e RFID. Agora, tablets e smartphones também estão sendo adotadas no setor, especialmente entre as pequenas empresas, devido as vantagens de custo-benefício. O smartphone, no entanto, é o dispositivo móvel mais utilizado nas operações da cadeia de suprimentos e logística, de acordo com uma pesquisa recente realizada pelo ARC Advisory Group. Um dos motivos: familiaridade com a plataforma, resultando em menores custos de formação e adoção maior entre os usuários.

5. Computação em nuvem (cloud computing)

Embora haja um movimento forte da TI baseada na nuvem, os sistemas de gestão de inventário ainda não fazem parte da era do Cloud Computing. Estudos recentes indicam que, embora 45% do mercado de CRM consista em soluções baseadas em nuvem, apenas 21% dos sistemas de WMS é cloud. Uma das razões é a pequena necessidade de acesso ao sistema WMS a partir de dispositivos móveis de fora do armazém. Mesmo assim, essa percepção está começando a mudar, já que a nuvem oferece vantagens significativas para os pequenos distribuidores, como, por exemplo, o investimento inicial baixo.

 

Estas são apenas algumas das tendências tecnológicas que podem afetar suas operações nos próximos anos. Quais outras tendências em gestão de inventário você acredita que iremos ver nos próximos anos? Comente!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *