Otimização da cadeia de suprimentos

Pesquisa conduzida pela FGV apontou que a variação na performance das empresas, no que diz respeito ao crescimento está ligado diretamente a qualidade da estrutura das cadeias de suprimentos (supply chain), podendo apresentar variações entre 15% a 25% nas empresas pesquisadas.

Por conta de necessidades mútuas, muitas empresas que competiam entre si de forma isolada passaram a atuar de uma maneira mais estrutural, buscando a eficiência e a cooperação. Hoje, a ideia de que há um conjunto de organizações que agem para conseguir metas semelhantes fez com que gestores enxergassem uma renovação na postura, sobretudo de como conduzem sua cadeia de suprimentos.

Veja como é importante otimizar a cadeia de suprimentos e qual o caminho para que isso ocorra.

Uma cadeia de suprimentos otimizada

A otimização da cadeia de suprimentos é o processo em que uma determinada empresa ou instituição adéqua e dinamiza a forma como distribui seus produtos aos clientes finais. Trata – se de algo que demanda uma estratégia constante que requer monitoramento e melhorias contínuas, tanto no planejamento, quanto nas operações. Além de envolver mais de uma entidade, inclui  – se nesse cenário as necessidades de logística e outros fatores que se movem constantemente para fluir de maneira eficiente e economicamente viável.

Inicialmente é importante traçar objetivos da cadeia de fornecimento, que muitas vezes, envolvem outras empresas, como fornecedores, fabricantes, transportadoras, bem como fatores que nem sempre podem ser controlados. Abaixo alguns dos exemplos de objetivos que podem ser adotados:

  • Atender a demanda, diminuindo a incerteza.
  • Transporte e armazenamento de produtos que representam um baixo custo.
  • Entrega de produto de forma ágil e pontual.
  • Melhor a capacidade do elo fraco da cadeia de suprimentos.
  • Atender a procura, diminuindo taxas que impactam nos custos, entre outros.

Como otimizar a cadeia de suprimentos

Não existe uma fórmula mágica, mas sim caminhos que ajudam a elaborar a estratégia que mais se adéqua à gestão de supply chain e que poderão preencher as lacunas encontradas. São elas

Melhora na previsão

A execução da cadeia de suprimentos está intrinsecamente ligada a capacidade da empresa de responder a procura. Parece simples, mas existem desafios que surgem do nada e podem levar a escassez ou excesso de estoque. A previsão vai ajudar a se antecipar a esses desafios, sobretudo em setores que a demanda é incerta que exigem maior direcionamento e coordenação. Onde a demanda é estável, as previsões podem ser mais distantes no futuro, o que exige uma redução de custos.

Agilize o fluxo de informações

O fluxo de mercadorias é importante, mas sem um fluxo de informações adequado, há um risco de haver confusões e entraves na cadeia de distribuição. Empresas que apresentam uma demanda volátil necessitam de um tempo de reação mais curto, exigindo um roteiro pré – definido para algumas situações. Exemplo: um revendedor recebe uma encomenda grande do varejista no campo, mas estão atrasados para enviar as ordens, seja por e-mail, fax ou telefone.

A lentidão na entrega das informações vai atrasar toda a operação, levando inclusive, a escassez no estoque. Para diminuir esses problemas é importante automatizar o processo de informação, tornando – o mais eficiente e responsivo.

Não deixe processos automatizados sem supervisão

A automação vai agilizar processos que exigiam intervenção manual, porém para que flua de maneira adequada é preciso supervisão e auditoria contínua para conciliar esses processos. Sem a devida atenção e compreensão por parte da equipe favorece a cadeia de fornecimento e auxilia a chegar aos objetivos.

Incentivar a cooperação funcional

A cooperação entre mais de uma área da empresa, bem como departamentos são de extrema importância para a entrega de resultados. Se não houver uma integração podem surgir conflitos, principalmente sobre as prioridades e expectativas diferentes. Talvez esse seja o principal ponto a ser levado em conta, uma vez que a colaboração e o planejamento são fundamentais para a operação.

Estreitar processos

Estreitar processos é mais do que determinar a quantidade certa do inventário, nos pontos certos e no momento certo. É algo que exige sinergia entre as áreas de vendas e logística, sendo necessária dados em tempo real em diferentes frentes. Nesse contexto entra os softwares de gestão, que permitem a consolidação e rastreamento das informações pertinentes ao negócio.

Adaptar para crescer

A estratégia da cadeia de suprimentos eficaz precisa ter espaço para adaptações, aumento da produtividade, alterações de processos, além de adição de novos fornecedores, aquisição de marcas, entre outras características interessantes para a operação. Também é preciso se adequar as especificidades do mercado e as necessidades de crescimento da companhia, assim será possível se antecipar as mudanças.

Gostou do artigo ou ficou com alguma dúvida? Fale conosco pelos comentários e não deixe de acompanhar as postagens do blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *