6 melhores práticas para e-commerce B2B

Uma pesquisa recente da Frost & Sullivan projetou que o mercado de e-commerce B2B deve atingir US$ 12 trilhões no mundo todo até 2020. Ainda segundo o estudo, os consumidores estão pressionando as empresas de varejo e atacado a implementarem plataformas de compra e venda online. Com esse crescimento rápido, a área de crescimento para fornecedores e distribuidores ampliou bastante. No entanto, simplesmente tomar a decisão de implementar uma loja virtual não garante que a empresa vai cumprir suas metas. Por isso, é preciso conhecer e seguir as melhores práticas para e-commerce B2B se você quiser que seu investimento na plataforma retorne logo.

Com esses fatores em mente, confira abaixo as 6 melhores práticas de comércio eletrônico B2B para implementar em 2016.

 

1. Integração

Uma plataforma eficiente requer acesso aos níveis atuais de inventário e estoque e uma forte compreensão do histórico de compra e do comportamento dos clientes. Para isso, a sua plataforma de e-commerce precisa ser integrada aos sistemas de backend, tais como ERP e sistemas de gerenciamento de inventário. Assim, os usuários poderão acessar informações em tempo real sobre o nível de estoque dos produtos, evitando , de modo que os compradores podem acessar informações em tempo real sobre os níveis de estoque para evitar backordering (pedidos pendentes) e atrasos na expedição.

A plataforma também deve mostrar compras passadas e histórico de pagamento do cliente para que ele possa consultar dados como taxas de envio e contratos de compra. Ademais, é ideal que o sistema seja integrado com o dos representantes de venda em campo.

 

2. Ofertas inteligentes

Com sistemas integrados, você vai ser capaz de segmentar os seus clientes e direcionar suas ofertas mais assertivamente para os clientes certos nos momentos certos. Se você tem um cliente que só adquire certos itens na primavera ou no outono, pode lançar promoções específicas para ele no verão e inverno para estimular a compra.

 

3. Plataforma mobile

De acordo com uma pesquisa recente da Usablenet, 78% das empresas B2B acreditam que o futuro do mercado B2B é online e 75% planejam oferecer uma plataforma de vendas mobile em um futuro próximo. Isso significa que oferecer a possibilidade de seus clientes comprarem via tablet ou smartphone será mais que um diferencial, mas obrigação para manter a competitividade.

 

4. Conteúdo consistente

Honrar as relações contratuais que regem o B2B deve ser sempre considerada uma das melhores práticas nos esforços de um e-commerce. Isso significa que a página de produtos deve ser adaptada e personalizada, mostrando regras de preços e de descontos específicos para cada cliente.

 

5. Compra fácil

Compra em grande escala, repetição ou mesmo agendamento de pedidos devem estar presentes em uma loja virtual. Além disso, a página de pagamento deve ser otimizada para que os usuários percam o menor tempo possível, mas ainda tenha acesso a informações relevantes e também forneçam dados essenciais para sua empresa. Ademais, sua empresa deve proporcionar o acesso a condições de pagamento, métodos de envio, datas de envio, cancelamento de pedidos, entre outras opções.

 

6. Faça você mesmo

Em um momento em que muitos usuários já estão acostumados a comprarem online no mundo B2C, é preciso fornecer essa autonomia também na plataforma B2B. Permita que o usuário possa atualizar suas próprias informações a qualquer hora e em qualquer lugar.  Isso diminui o número de pedidos errados e também aumenta a satisfação do consumidor.

 

Esta é uma pequena lista de melhores práticas para e-commerce B2B que fornecedores e distribuidores deveriam incluir em seus esforços este ano. Como o mercado eletrônico B2B tende a crescer mais rapidamente, isso exige das empresas mais esforços no sentido de tornar a experiência de compra cada vez melhor.

 

Quais práticas sua empresa planeja adicionar às estratégias para 2016? Comente!