Por que você não deve usar uma plataforma B2C para B2B

Empresas que resolvem abrir um novo canal de venda B2B para distribuição precisam escolher a plataforma que vai abrigar sua loja virtual. Nessa hora, muitos gestores acabam ficando na dúvida sobre a plataforma de comércio eletrônico e cogitam as famosas no mercado, como Shopify e Magento. Elas parecem oferecer um grande conjunto de opções de personalização, mas o fato é que este tipo de plataforma foi desenvolvido para o mercado B2C. Ninguém deveria utilizar uma plataforma B2C para B2B pelo simples fato de que esses modelos têm características e necessidades muito distintas.

 

Plataforma B2B vs B2C

Para plataformas como Shopify ou Magento que foram construídas para as compras online B2C, lidar com transações B2B não é a melhor opção. Funcionalidades críticas para o processo de vendas B2B não existem em plataformas B2C. Como exemplo, podemos citar preços específicos por cliente, condições de pagamento complexas, cálculo de impostos (como substituição tributária), faturamento direto, simulador de vendas e propostas.

Para ficar mais claro, vamos supor que você precise de um carro esportivo para corrida. Você poderia comprar um Honda Civic, substituir o motor, pneus, freios, enfim, modificar o carro inteiro. Ou você pode comprar uma Ferrari, criada para isso. É o mesmo com as plataformas de e-commerce. É possível transformar uma plataforma B2C em uma B2B, mas os resultados geralmente não saem como esperado. Além disso, quanto mais alterações você faz na programação, mais incompatível ela se torna com atualizações do fornecedor. Isso pode levar a dois cenários diferentes:

 

  1. Você precisa gastar ainda mais dinheiro e recursos para fazer modificações que sejam compatíveis com a nova versão do software.

  2. Você vai ficar com a versão antiga, e seu portal B2B nunca vai mudar ou evoluir.

 

Um cenário nada favorável. Além de tudo isso que falamos, uma plataforma B2B tem filosofia criada para cuidar do relacionamento, diferente do B2C que está mais voltado a cuidar do produto. Ou seja, são diferentes na origem. Outro problema de utilizar uma plataforma B2C para B2B é o cálculo de impostos. A complexidade dos cálculos, que envolve tantas regras e fatores, que acabam dificultando a operação, alterando preços, causando prejuízos e frustrando clientes.  Os erros incluem a simplificação dos impostos e até o uso de fórmulas de cálculo diferentes. Ademais, se o gestor calcular os valores errados, vai correr riscos ao prestar contas ao governo. Com isso, a empresa poderá sofrer impactos negativos irreversíveis.

 

Plataforma de e-commerce B2B

Uma plataforma desenvolvida especialmente para transações B2B será capaz de lidar com as complexidades de vendas desse mercado. Os clientes devem ser capazes de efetuar login e ver um catálogo personalizado com produtos e preços que aplicáveis a sua conta, por exemplo. Também devem ter acesso aos níveis de estoque e fazer seleções rápidas em uma ampla gama de categorias e variantes dos produtos vendidos. Além disso, é preciso oferecer um sistema de busca otimizado que permita o cliente encontrar produtos facilmente pela referência, código de barras, etc. Um simulador de preços também é essencial, já que permite ao cliente visualizar preços para outros estados e situações tributárias no momento do check-out. Desse modo, no momento do fechamento da compra, o cliente vai saber quanto realmente pagará. O faturamento direto é outra ferramenta fundamental no modelo B2B porque permite ao revendedor vender diretamente ao seu cliente final, garantindo mais conversão e flexibilidade aos negócios.

 

Em suma, as vendas B2B envolvem um processo muito complexo. Empresas B2B precisam de uma plataforma que possa acomodar essas complexidades com flexibilidade para personalização e que continue crescendo de maneira escalável.

 

Por que outros motivos você acha que usar uma plataforma B2C para B2B não é uma boa ideia? Comente.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *