O e-commerce B2B vai duplicar até 2020. Você está preparado?

Em apenas cinco anos, a previsão é de que o e-commerce B2B movimente cerca de US$ 6,7 trilhões. Isso significa duplicar o valor de transações do  seu homólogo B2C (US$ 3,2 trilhões) até 2020, de acordo com uma pesquisa recente da Frost & Sullivan, publicada na revista Forbes, no ano passado.

Embora o progresso  industrial nesse segmento não seja tão rápido, previsões assim começam a alertar o mercado a procurar tecnologia e automação como meios de aumentar a produtividade. No setor de atacado distribuidor, por exemplo, 47% das empresas estão investindo  em tecnologia de gestão de relacionamento com o cliente, de acordo com um estudo da McGladrey.

Ainda assim, grande parte dos investimentos se concentra em funções de back-office, mas muitas organizações insistem em métodos antigos ​​de gerenciamento de pedidos de vendas e em sites ultrapassados e inadequados. Essa dependência de processos manuais cria desafios enormes de produtividade, gerando erros, demora e retrabalho. Isso pode resultar no atraso na entrega de um pedido, por exemplo, fato intolerável quando falamos de e-commerce, ainda mais B2B.

Em um estudo conduzido pela Accenture em 2014, 75% dos consumidores B2B ​​afirmaram que comprariam novamente de um fornecedor se ele oferecer um site fácil de usar. Ou seja, além do preço de um produto, a apresentação e o modo como ele é disponibilizado para o consumidor tem impacto direto na preferência por uma marca ou outra. O resultado? Empresas que acompanham o mercado estão buscando vantagem competitiva por meio da implementação de sistemas digitais eficientes, racionais e automatizados. Outra pesquisa que mostra como o preço não é o atributo mais importante é “As Empresas que Mais Respeitam o Consumidor”, realizada pela Shopper Experience em parceria com o Grupo Padrão.

Ambos os estudos deixam claro que cuidar do seu e-commerce e adaptá-lo aos seus clientes é fundamental para retê-los, especialmente quando você considera que a aquisição de um novo cliente pode custar seis ou sete vezes mais do que manter um já existente. Outro dado que sugere que a manutenção e a fidelização de clientes será uma das responsáveis pelo crescimento do valor nas transações online B2B é que um pequeno aumento de 5% na retenção de clientes pode aumentar os lucros em 25% a 95%. Os números são de uma pesquisa do blog da KissMetrics e mostra que uma das maneiras mais eficazes para aumentar o valor da vida de um cliente (LTV) é aumentando a satisfação dos consumidores.

Por isso, recomendamos que sua empresa se prepare para a evolução do mercado e acompanhe os anseios dos usuários, adaptando e atualizando sua loja virtual de acordo com a demanda do mercado atacadista distribuidor. Se existe algo que realmente agrega valor a um produto que também é vendido pelos concorrentes é a confiança estabelecida com o consumidor, o respeito e a qualidade do atendimento. Segundo 48% dos entrevistados pela Shopper Experience, a qualidade do atendimento é o fator mais relevante quando falamos de respeito ao consumidor.

Sabendo disso, cuide da relação que sua empresa B2B tem com as outras organizações, mantenha um site atualizado, simples de usar e melhor que o da concorrência, pois isso será fundamental na busca pelo sucesso.

7 motivos para atualizar seu e-commerce (e se preparar para 2020)

1. Aumento da margem de ganho

2. Aumento do long tail

3. Foco em vendas maiores e de maior valor agregado

4. Seus concorrentes já estão fazendo

5. Acelerar o fluxo de caixas

6. Visibilidade

7. Redução de custos através de um 24×7

Quer saber mais sobre o assunto e como o mercado de B2B vai duplicar em cinco anos? Baixe gratuitamente nosso e-book.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *