substituição tributária no B2B

Saiba como calcular substituição tributária no B2B!

Que a carga tributária no Brasil é alta, todo mundo sabe. Mas, isso ainda não é tudo. A complexidade dos cálculos para determinar um valor de substituição tributária no B2B e, também de outros impostos, envolve tantas regras e fatores que dificultam a operação. Com tudo, se o gestor não souber calcular os valores corretos a recolher, ainda correrá riscos de prestar contas ao governo e a empresa poderá sofrer impactos negativos irreversíveis. Por isso, preparamos algumas dicas para facilitar a sua vida. Aprenda a calcular a substituição tributária e impostos no e-commerce B2B (Business To Business)!

Calcular impostos e substituição tributária no B2B e-commerce exige cuidados: Veja como fazer!

Alguns gestores de e-commerce B2B estão calculando os impostos de forma equivocada. Estão gerando grandes riscos para suas empresas e diminuindo o seu poder de competitividade no mercado. Para não fechar as portas, como muitas já fizeram, vamos apresentar algumas soluções e, claro, como calcular a substituição tributária e impostos no e-commerce B2B!

Um problema frequente no cálculo de impostos!

A substituição tributária foi criada com o intuito de simplificar a cobrança de impostos quando acontece uma venda de produtos e serviços. Porém, essa simplificação deu um nó na cabeça dos gestores na hora de calcular a margem de contribuição. Antes, o cálculo era mais simples. Bastava multiplicar o valor da venda do produto ou serviço pela taxa correspondente ao ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) que teríamos o valor da alíquota a ser recolhida.

Com o novo cálculo, novos fatores foram atribuídos e, agora, deve-se considerar o valor do ICMS, que varia de estado para estado, a categoria em que o produto se enquadra no NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul) e o regime tributário em que a empresa B2B se enquadra. A complexidade é tanta que até a inclusão da cobrança de frete no pedido deve gerar um novo cálculo. Diante desse problema, muitos empresários estão adotando práticas perigosas para informar preços aos clientes.

Para facilitar a negociação no e-commerce B2B, os gestores estão tirando uma média dos impostos cobrados nas vendas e incorporando o valor ao preço do produto. No entanto, essa prática pode fazer com que o negócio perca o poder de negociação oferecendo um produto mais caro do que realmente deveria ser.

A solução pode ser mais simples que parece!

Contar com uma plataforma que ofereça a ferramenta de simulação de preços para o cliente do e-commerce B2B pode ser uma estratégia muito eficiente para melhorar a experiência do comprador e gerar um aumento significativo do ROI (Return On Investiment) da empresa. A complexidade dos cálculos de impostos e substituição tributária deve ficar no ERP (Enterprise Resource Planning), mas com a plataforma de e-commerce B2B compatível, poderá integrá-la ao sistema ERP de forma a não gerar lentidões na navegação.

O cliente poderá simular preços com ICMS inserindo o CEP de entrega da mercadoria que a própria plataforma calculará a alíquota baseada nas informações de estado de origem, estado de destino, ICMS devido, NCM ou classificação fiscal do produto e outros atributos envolvidos para, no momento do fechamento da compra, saber quanto realmente pagará. Esse é um serviço adicional que muitos clientes e empresários sonham em ter, já que resolverá a complexidade imposta pelos cálculos de ST (substituição tributária no B2B).

Uma plataforma B2B com essa característica ainda é novidade e pouco adotada no Brasil. A sua utilização poderá ajudar na conquista e fidelização de clientes baseado na transparência e rapidez das informações fornecidas. A confiabilidade e a praticidade oferecida se tornará uma forte aliada na construção de uma vantagem estratégica que dará a competitividade necessária para se destacar no mercado de e-commerce B2B.

Gostou da dica? Então, deixe o seu comentário e compartilhe a sua opinião e experiência com a gente!